domingo, 19 de abril de 2009

Marx, o capitalismo e um velho fantasma

Por João Paulo da Silva

Após a queda do Muro de Berlim, uma ideia foi amplamente divulgada: o socialismo morreu e o capitalismo triunfou. A teoria do livre mercado, apoiada em seu neoliberalismo, afirmava que o mundo capitalista era o auge da civilização e que a propriedade privada daria conta de resolver os problemas da humanidade. Em um debate intelectualmente honesto, esses argumentos não se sustentam por cinco minutos.

Em primeiro lugar, o socialismo não pode ter morrido porque, de fato, nunca existiu em escala planetária. Identificar como socialismo as barbaridades cometidas por Stalin e companhia só prova duas coisas: desconhecimento sobre o que Marx escreveu ou mau-caratismo mesmo. Quanto aos argumentos de que o capitalismo seria o fim da história e de que ele solucionaria os problemas, vejamos a realidade. Em especial, o aspecto mais básico: a alimentação.

Segundo dados da FAO, o departamento das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, em 1970 a produção mundial de grãos (base alimentar dos povos) foi de 1,225 bilhão de toneladas para uma população de 4,003 bilhões de pessoas (uma média de 306 quilos por pessoa). Em 2007, a produção foi de 2,219 bilhões de toneladas para 6,453 bilhões de habitantes, ou seja, uma média de 344 quilos por pessoa. Os números mostram que a colheita de grãos cresceu 12% a mais que a população no período apresentado.

O capitalismo foi o sistema que fez o mundo deixar de viver crises de escassez para viver crises de abundância. O que justifica, então, a fome de 1 bilhão de seres humanos em todo o planeta? A chegada de mais uma turbulência econômica revelou, entre outras coisas, a verdadeira face de uma lógica selvagem por natureza.

A crise trouxe à tona um contingente de excluídos que ninguém queria ver. E fez mais. Mostrou trilhões de dólares sendo entregues a banqueiros e empresários. Uma montanha de dinheiro que os governos diziam não existir quando a conversa era acabar com a fome e a miséria. O capitalismo não só não resolveu os problemas da humanidade como também os aprofundou.

Os protestos que estão ocorrendo devem ser vistos com preocupação pelos donos da festa. Em 1848, no início de O Manifesto Comunista, Marx fazia um alerta ao Velho Mundo: “Um fantasma ronda a Europa. O fantasma do comunismo”. Hoje, ele parece ter voltado para dar seus passeios. Nunca um velho fantasma foi tão atual.

Mas a História dos homens não tem favoritismos. E as apostas já começaram a ser feitas.

8 comentários:

Bruno MGR disse...

Parabéns pelo texto, rapaz. Sempre textos sem um erro de grafia, esse garoto é demais! hehehehe

Salomão Miranda disse...

João, só não concordo quando dizes que "História dos homens não tem favoritismos". Pra falar a verdade não entendi bem o que vc quer dizer com isso.

Se há um favorito, não sei bem, mas que o capitalismo é extremamente forte na arte de enganar, ah, isso eu não duvido!

Anderson David disse...

Confesso que gostei mais da charge que da crônica. O texto é muito bom, mas esse assunto poderia ser pauta de 'n' textos.

Além disso, a charge do Latuff, acho que é dele, resume muito bem a atual situação.

Ingrid Barbosa disse...

Achei seu blog por acaso no site do PSTU, lendo uma nota sobre Marvin Gaye e... nossa... Faz tempo que não lia textos tão bem estruturados, de fácil compreensão e o mais importante, com conteúdo! Parabéns pelas crônicas... Adorei todas que li!!

Anônimo disse...

O capitalismo está longe de ser a solução para os problemas da humanidade mas ainda assim é infinitamente melhor que qualquer sistema socialista.
Na verdade, o sistema capitalista nunca se propos hipocritamente a resolver os problemas da humanidade.
Por outro lado, identificar o socialismo as barbaridades, é simplesmente um fato. Desconhecimento seria não mostrar o passado, a verdade história das tragédias socialistas.
Marx poderia até supostamente ser bem intencionado, mas de boas intenções o inferno está cheio.
Os maiores fascínoras e inimigos da raça humana foram socialistas. Isso é fato e é imutável.
Stalin na URSS que deliberadamente matou de fome mais de 7 milhões de ucranianos no periodo de 1 ano, nem os nazistas conseguiram esse feito uma década mais tarde, muito antes da Segunda Guerra Mundial (isso sem contar os expurgos, os assassinatos, deslocamentos de populações nativas, isolamentos na Sibéria, etc).
Mao Tse Tung que fez a revolução cultural, igualmente matou milhões de chineses de fome. Diferente do Stalin que foi proposital, o Mao fez por pura incompetencia.
E o que dizer do Khmer Vermelho do Pol Pot e suas milhões de vítimas? E o que dizer do Tito da Yugoslávia, o ditador norte coreano Jong, do ditador Fidel Castro e outros tantos o culto de sua própria personalidade.
Veja que não são exceções, pelo contrário são regra em regimes socialistas, que naturalmente são regimes ditatoriais genocidas.
Querer usar pseudo-intelectuais como Marx e Trostky para dar uma capa ao qualquer regime assassino, isso sim é monstruoso.
Para resolver ou atenuar os problemas da humanidade, É sem dúvida mais fácil melhorar o capitalismo, cujo problema não está nas bases e sim em uma camada acima, no seu gerenciamento e distribuição da renda que resolve-lo pelo modo socialista, cuja podridão está da base econômica ao topo gerencial (geralmente liderado por um fascínora, megalomaníaco).

João Paulo da Silva disse...

Se você quiser se identificar, podemos iniciar uma conversa sobre nossas divergências. A princípio, me parece que você não teve nem coragem de assinar sua própria opinião. Mas não quero me precipitar num julgamento, uma vez que vc pode ter esquecido de escrever seu nome. Quanto ao que vc argumentou acerca do socialismo, por favor, seja honesto, não misture as coisas na intenção de forjar suas críticas. Todas as barbaridades citadas por vc estão corretíssimas, exceto pelo fato de vc ligá-las à essência do socialismo. Sugiro que volte aos livros de Marx (se é que algum dia vc os pegou para ler).

AF STURT disse...

Ao anônimo :

Esses caras metidos a intelectuais esquece de mencionar que nunca teve no mundo o socialismo cientifico e mais tentam confundir a cabeça das pessoas com coisas que nem sabe o que significa de verdade .Esquece também de destacar que o feudalismo foi substituido pelo capitalismo.E que nazismo ,facismo e outras são formas extremas de capitalismo.
Mesmo se jogar na balança pode ver que o "bondoso" sistema capitalista matou muito mais do que o "maldoso" sistema socialista.

Desconhecimento é não mostrar a maldade do capiatalismo em pratica e teoria.
Se os maiores inimigos da raça humana são socialistas?Então vc nunca estudou e não sabe nada de história.
Foi incluido Fidel Castro na lista dos "inimigos" do povo ,mais quantos o regime cubano matou em Cuba?Não sabe ou os números não provam o comentário?
Não é possivel humanizar o capitalismo ,quem pensa assim é um alienado e ignorante.Só a teoria já começa o erro.
Agora o comunismo ,ou socialismo cientifico só será implantado por civilazões evoluidas e talvez em um futuro distante.Mas para que esse bem não seja destruido pelo poder do mal temos que continuar com nossas profissões voluntarias em favor do marxismo sendo meros revolucionários.

AF STURT disse...

Ao João
Parabéns pelo blog,suas reflexões são excelentes...


abs...