domingo, 6 de setembro de 2009

O mercado das almas

Por João Paulo da Silva

Eu respeito a fé das pessoas. Penso que cada um pode acreditar no que quiser. Contudo, o mundo está tão à beira do caos que não basta apenas crer para ser salvo. Hoje, mais descaradamente do que nunca, é preciso pagar caro para ir ao “paraíso”. Um investimento sem retorno garantido e que custa os olhos da cara.

Os escândalos envolvendo as falcatruas financeiras do bispo Edir Macedo, dono da Igreja Universal do Reino de Deus e da Rede Record, me levaram a uma instigante reflexão: a de que Deus, talvez, seja a invenção humana que mais deu (e dá) lucros ao longo da história. Sabe, eu fico até na dúvida. Para fazer dinheiro fácil, é melhor fundar um banco ou uma igreja?

Cotidianamente, nos templos e nas TVs, ocorre uma acirrada disputa de mercado. São diversas facções religiosas concorrendo entre si para ver qual delas engana o maior número de fiéis. As promessas mais absurdas são feitas em troca de exigências financeiras cada vez mais imorais. Em nome de Deus, se pede de tudo: dinheiro, casas, carros, vale transportes e até tickets alimentação. A Igreja Universal, por exemplo, defende uma Teologia da Prosperidade. Prosperidade do bispo Edir Macedo e de seus pastores, claro. Ao que parece, o mercado das almas é tão lucrativo quanto o mercado financeiro.

Entretanto, arrancar dinheiro de bilhões de seres humanos infelizes e desesperados não é privilégio apenas do protestantismo, que encontrou no capitalismo sua verdadeira alma gêmea. A Igreja Católica não deixa nada barato. Durante séculos, a grande senhora da Idade Média condenou a usura. Dos outros, evidentemente. Na época, porém, ela vendia de tudo: desde indulgências até incontáveis ossos do corpo de Cristo, o que me fez chegar à conclusão de que Jesus, por causa do grande número de fêmures, não era um homem, e sim uma centopéia.

Hoje a Igreja Católica vende padres cantores e uma infinidade de quinquilharias da fé. Além, é claro, de possuir um 1/5 de todo o patrimônio imobiliário da Itália, o que fez o Vaticano lucrar 1,47 bilhões de euros com a especulação entre os anos de 2004 e 2005. Para as igrejas, semear ilusões sobre uma vida melhor após a morte não é suficiente. Sem o menor pudor, os profetas oferecem uma esdrúxula modalidade de credo: a “fé pegue e pague”.

Quando eu era garoto, sempre me disseram que Deus morava no céu, nas nuvens ou até mesmo no coração dos homens. Atualmente, sei que isso não é verdade. Ao que tudo indica, Deus vive em Nova Iorque, mais precisamente em Wall Street.

Guerra de TVs

Impossível não comentar a guerra midiática entra a Rede Globo e a Rede Record. Não é somente uma disputa pelo Ibope, é necessariamente um confronto por cifras estratosféricas. Em busca do monopólio, cada uma delas revela as sujas verdades da outra. As emissoras utilizam a concessão pública que receberam para fazerem fortunas, levando, assim, o privado para o público e o público para a privada.

Tão real quanto o desvio das doações dos fiéis para aumentar o patrimônio televisivo de Edir Macedo, é a ligação da Rede Globo com os episódios mais obscuros do poder. Seja no apoio à ditadura militar ou na “mãozinha” dada a Collor em 1989 (para citar alguns exemplos), o grupo da família Marinho sempre cumpriu o papel de enganar os milhões de brasileiros ligados no plim-plim. Ah, e não esqueçamos, por favor, o senhor Silvio Santos, que não foi citado nessa história toda, mas possui um cassino disfarçado de canal de TV.

O conflito Globo X Record não se trata de uma guerra entre mocinhos e bandidos. Não há diferenças entre os barões da comunicação, apenas semelhanças. Aqui, vale tudo para encher o cofre. Na verdade, não há televisão no Brasil. O que existe são grandes caça-níqueis. Nada mais.

7 comentários:

Janine disse...

Bom enquanto protestante vale lembrar que as demais denominações tb não veem a igreja universal com bons olhos, em sua maioria, afirmo sem titubiar que acham absurdo todas as atitudes tomadas dentro daqueles templos tão luxuosos mantidos com o dinheiro de gente tão simples. Mas vale lembrar que a bíblia não condena a construção de belos templos, Salomão por exemplo construiu um que chegou a entrar para a lista das 7 maravilhas do mundo, junto com os jardins suspensos da babilônia e uns outros que não estou lembrando agora. Quando Cristo veio ao mundo para cumprir sua missão, falar de amor, e morrer em favor de todos nós para que pudéssemos estar mais perto de Deus, ele pediu para que sua menssagem fosse propagada pelo mundo afora. O único problema foi que ele deixou responsável por isso o ser humano, que é altmente traiçoeiro e falho. Da mesma forma que existem pessoas de mal caráter em faculdades, empresas, no senado, enfim em qualquer lugar, tem dentro de igrejas tb sejam essas protestantes ou não!

Bom post! Estou com saudades quando aparecer pelas bandas de cá pelo amor de Marx me ligue! =P

AF STURT disse...

Grande texto.Parabéns!
Além de igrejas e bancos, televisões são outros bons negocios.
Salve a liberdade, salve os ateus!!!

Estêvão dos Anjos disse...

Duas constatações:

Vai pro inferno, por está falando mal do Edir Macedo!

E perdeu a chance de ser um jornalista rico, tá falando mal da Globo e da Record.

Poxa João : /

Thiago Baptista disse...

João, mais uma vez, excelente crônica.

Só gostaria de fazer um comentário acerca desse tema.

É uma verdadeira VERGONHA que em pleno séc XXI ainda existam crenças em divindades ridículas e misticismos anticientíficos. E o que é mais triste é constatar que a própria esquerda cai nessa falácia do "respeito à fé".

Como se a fé tivesse ao menos um pingo de coisa boa. A fé é um insulto à dignidade humana; é a crença sem provas, é a louvação da ignorância.

A fé só troxe guerras, opressão e escuridão à humanidade. Toda nossa história de progresso se resume à distância que tomamos desses pensamentos infantís.

A fé não precisa de respeito. PRECISA SER COMBATIDA. É preciso combater a religiosidade tanto quanto se combate a homofobia e o machismo. Um militante de esquerda deveria se sentir incomodado por defender o materialismo dialético por um lado e louvar uma figura deplorável como Jesus por outro.

Ou se lê o Capital ou um livro bárbaro da idade do bronze.

\\//

Mundo, mundinho, mundano disse...

Tem um tempão que acompanho seus escritos, creio que ta beirando coisa de um ano já... Porém nunca deixo de me surpreender ao ler tuas palavras! Que bom que na nossa razão de viver está a revolução socialista!! Só que ao invés do caldinho de camarão, eu fico com o Bobó!!! Abraço

Anderson Santos disse...

Excelente texto!!!

Sobre a "guerra" das TV's, parece que num livro o Edir Macedo aponta a possibilidade de ser presidente do Brasil. Imagine só deter o poder sobre a religião, a TV e a política de um país. Falta mais algum meio para alienar (ou influenciar, como queiram) as pessoas?

Jorge lucas disse...

Joãozito, não vai ter nada essa semana sobre Allende?

=)

Belo post